terça-feira, 6 de agosto de 2013

Poema Extraído do Livro As Vantagens de Ser Invisível


Depois de dormir maravilhosamente bem - coisa que não acontece há muito tempo. Levantar às 5:45h, sair de casa com o tempo nublado, esperar 15min por um ônibus e acabar pegando uma van. Enfrentar um trem lotado às 7:08h, e ler em pé até a Central do Brasil. Eis que me deparo com esse poema no livro As Vantagens de Ser Invisível:  

Em uma folha de papel amarelo com linhas verdes
ele escreveu um poema
E o intitulou "Chops"
porque era o nome de seu cão
E era o que estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e uma estrela dourada
E sua mãe o abraçou à porta da cozinha
e leu o poema para as tias
Era o ano em que o padre Tracy
levava todas as crianças ao zoológico
E ele deixou que cantassem no ônibus
E sua irmãzinha tinha nascido
com unhas minúsculas e nenhum cabelo
E sua mãe e seu pai se beijavam tanto
E a garota da esquina mandou para ele
um cartão de Dia dos Namorados assinado com vários X
e ele teve de perguntar ao pai o que significava X
E seu pai deixou que ele dormisse na sua cama à noite
E era sempre lá que ele dormia

Em uma folha de papel com linhas azuis
ele escreveu um poema
E o intitulou "Outono"
porque era o nome da estação
E era o que estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e o pediu para escrever com mais clareza
E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
por causa da pintura nova
E as crianças disseram a ele
que o padre Tracy fumava cigarros
E largava as guimbas no banco da igreja
E às vezes elas faziam buracos
Que era o ano de sua irmã usar óculos
com lentes grossas e armação preta
E a garota da esquina riu
quando ele pediu para ver Papai Noel
E os garotos perguntaram por que
a mãe e o pai se beijavam tanto
E seu pai não o cobria mais na cama à noite
E seu pai ficou furioso
quando ele chorou por isso.

Em um pedaço de papel de seu caderno
ele escreveu um poema
E o intitulou "Inocência: Uma Questão"
porque a questão era sobre uma garota
E isso estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e um olhar muito estranho
E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
porque ele nunca o mostrou a ela
Foi o primeiro ano depois da morte do padre Tracy
E ele esqueceu como terminava
o Creio em Deus Pai
E ele pegou a irmã
se agarrando na varanda dos fundos
E sua mãe e seu pai nunca se beijavam
nem mesmo conversavam
E a garota da esquina
usava maquiagem demais
O que fez ele tossir quando a beijou
mas ele a beijou mesmo assim
porque era a coisa certa a fazer
E às três da manhã ele se aninhou na cama
seu pai roncava alto

É por isso que no verso de uma folha de papel pardo
ele tentou outro poema
E o intitulou "Absolutamente Nada"
Porque era o que estava em toda parte
E ele se deu um A
e um corte em cada maldito pulso
E se encostou na porta do banheiro
porque nessa hora ele não pensou
que poderia alcançar a cozinha."

Com amor,
Charlie (Pág. 80)


Eu achei esse poema incrível, e a minha reação foi muito parecida com a dos personagens do livro, não sei nem explicar a sensação que senti, mas Charlie a explica muito bem:
"Quando terminei de ler o poema, todos estavam em silêncio. Um silêncio muito triste. Mas a coisa Maravilhosa foi que não era uma tristeza ruim. Era só alguma coisa que fazia com que todos olhassem para os outros e soubessem quem eles eram. Sam e Patrick olharam para mim. E eu olhei para eles. E acho que eles sabiam. Não alguma coisa específica. Apenas sabiam. E eu acho que é tudo o que você pode pedir de um amigo" (Pág. 76)

Eu ainda não assisti o filme, mas descobri que esta cena foi retirada do filme, o que é uma pena, pois acho que essa deveria ser uma das cenas mais importante para o filme, até porque o nível de sentimento é altíssimo. Mas ainda bem que essa cena ao menos foi gravada, e eu encontrei ela perdida no Youtube, infelizmente não achei uma versão em português.


É isso, eu quis dividir o que senti quando li esse poema. Eu estou achando o livro maravilho, e não vejo a hora de terminar.


11 comentários:

  1. Eu amo esse poema.
    Não consigo não amar. É lindo e deveriam tê-lo mantido no filme, mas ok.
    :/
    http://literallypitseleh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora eu vou assistir o filme. Mas ainda não acredito que não tem esse poema no filme. :(

      Excluir
  2. não li esse livro ainda. mas já está na minha lista ^^ adorei o poema, lindo mesmooo

    Bjus
    Isis
    minhaestantecolorida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LEIA, ele é incrível. Acabei de ler agora. Quero ler novamente.

      Excluir
  3. Olá, passando pra avisar que nós do Incriativos te indicamos pra uma TAG " Meus 10 livros favoritos "
    http://incriativos.blogspot.com.br/2013/08/mais-livros-na-estante-2-e-tag.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ítalo. Já estou preparando a postagem.

      Bjkss

      Excluir
  4. Ainda não li esse livro, mas tenho muita vontade de ler.
    Não sabia deste poema, o que fez com que a vontade de ler o livro aumente *-*

    http://confraria-cultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adoro o livro todo! Ainda não assisti ao filme também...

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  6. O livro é muito bom... O filme é tão bom quanto.

    Hey, te indiquei em um selinho:
    http://euleiosophieoliver.blogspot.com.br/2013/08/selinho-10-livros-que-mais-gostei.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada. Estou preparando a postagem.

      Bjkss

      Excluir
  7. Quem é o autor do poema ? O Autor do livro simplesmente fez esse poema ? alguém me ajuda

    ResponderExcluir